5 curiosidades de “Não Olhe Para Cima”, recorde na Netflix

2022 começou e já temos um novo título conquistando espaço na web e alcançando os críticos. “Não Olhe Para Cima”, bateu recorde de maior número de horas de stream para uma produção da Netflix dentro de uma mesma semana.O filme chegou ao catálogo da Netflix no dia 24 de dezembro.© Crédito: Divulgação/Netflix O filme chegou ao catálogo da Netflix no dia 24 de dezembro.

Na quinta-feira, 6, a plataforma confirmou que entre os dias 27 de dezembro e 2 de janeiro, a “comédia” com direção de Adam McKay, foi assistida por 152.290.000 horas pelos usuários. No Twitter, o diretor aproveitou para comemorar os números e afirmou estar “pasmo” com os dados.

Na trama, acompanhamos a história de uma dupla de cientistas, interpretados por DiCaprio e Lawrence, que descobre um cometa gigante em rota de colisão com a Terra. Com a tentativa de avisar a presidente dos Estados Unidos e o público, ambos são recebidos com o negacionismo, deboche e descaso. 

E, diante de tanto sucesso, separamos 5 curiosidades sobre a obra que você provavelmente não sabia. Confira:

  • Em entrevista ao The New York Times, o diretor disse que o roteiro foi escrito em parceria com David Sikora, antes do início da pandemia, e ficou surpreso ao perceber que o enredo estava, de fato, se tornando uma realidade. Além disso, afirmou ter adicionado outros elementos satíricos diante dos posicionamentos e decisões políticas norte-americana no combate ao Coronavírus. 
  • Na produção, Meryl Streep vive a presidente dos Estados Unidos, no entanto, sua personalidade foi moldada com inspiração em diversos chefes de Estado, especialmente no ex-presidente Donald Trump.
  • Além da crítica social, o filme se estende ao lado político e a imprensa, uma vez que eles ignoram a informação dada pelos astrônomos, colocando-a em segundo plano. Enquanto isso, a presidente está totalmente ocupada, tentando escapar de um escândalo.
  • Alguns internautas citaram semelhanças entre determinada cena da obra com um acontecimento do telejornalismo brasileiro. Na situação, a bióloga Natália Pastenak ficou exaltada no Jornal da Cultura. Já no longa, a cientista Kate repreende os jornalistas quando percebe o tom de humor com que tocam a pauta.
  • Por fim, o nome faz referência a uma campanha lançada pelo Governo dos EUA fictício, em contraposição à “Olhe Para Cima”, anunciada pelos cientistas quando encontram o comenta – visível a olho nu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *