Análise: Palmeiras tem bom desempenho e tira peso antes de mais um “jogo do ano”

Se já fosse permitida a entrada de torcedores do Palmeiras na Arena Condá, no último sábado, é provável que o grito de “é terça-feira” pudesse ser ouvido no setor visitante em algum momento da vitória tranquila do Verdão contra a Chapecoense por 2 a 0.

O confronto contra o Atlético-MG é, de fato, a principal atenção do clube e dos torcedores neste momento. É mais um “jogo do ano” para o time de Abel Ferreira na temporada de 2021. E o duelo da Chape teve sua importância para o confronto pela Libertadores, além de fazer o Verdão voltar a somar três pontos no Brasileirão.

Mais sobre o Palmeiras:
+ Luiz Adriano encerra jejum de três meses
+ Veiga: “Importante para retomar nossa confiança”https://s3.glbimg.com/v1/AUTH_14ce1dbebbe64b1e8e955809a085692d/web-components/teste-ab.html?urls=eyJ1cmwiOiJodHRwczovL3MzLmdsYmltZy5jb20vdjEvQVVUSF8xNGNlMWRiZWJiZTY0YjFlOGU5NTU4MDlhMDg1NjkyZC93ZWItY29tcG9uZW50cy9wcm9kL3dpZGdldC5odG1sP3Byb2R1Y3ROYW1lPWdlJnByb2R1Y3RDb2xvcj0lMjMxNzdkNDkmYXJ0d29ya1VSTD1odHRwcyUzQSUyRiUyRnMzLmdsYmltZy5jb20lMkZ2MSUyRkFVVEhfYmM4MjI4YjY2NzNmNDg4YWEyNTNiYmNiMDNjODBlYzUlMkZhdWRpb3B1Yi1lcGlzb2RlcyUyRmJzJTJGMjAyMSUyRjYlMkZFJTJGMkFCb3dFUWpld2F0a1NWMlh4QXclMkZmb3RvZ2VwYWxtZWlyYXMxNjkuanBnJmF1ZGlvVVJMPWh0dHBzJTNBJTJGJTJGdHJhZmZpYy5vbW55LmZtJTJGZCUyRmNsaXBzJTJGNjUxYTI1MWUtMDZlMS00N2UwLTkzMzYtYWM1YTAwZjQxNjI4JTJGNTdmNzk4MmMtMDIyYi00Y2VjLWJmNDMtYWM3ZjAwZDVhNjU2JTJGNTY1NjJjNjEtYjI1Yy00MTM5LWFhYTEtYWRhODAwMTczZDQ2JTJGYXVkaW8ubXAzJmR1cmF0aW9uPTE5ODMuMzk5JmF1dGhvcj1HbG9ib2VzcG9ydGUmZXBpc29kZVRpdGxlPUdFK1BhbG1laXJhcyslMjMxNjkrLStGaW0rZGUramVqdW0lMkMrZGVmZXNhK3plcmFkYSUzQSthK3ZpdCVDMyVCM3JpYStkbytQYWxtZWlyYXMrc29icmUrYStDaGFwZSZwb2RjYXN0VGl0bGU9R0UrUGFsbWVpcmFzJnB1Ymxpc2hlZEF0PTIwMjEtMDktMTlUMDElM0EyNSUzQTI1WiZzaGFyZVVybD1odHRwcyUzQSUyRiUyRmludGVyYXRpdm9zLmdsb2JvZXNwb3J0ZS5nbG9iby5jb20lMkZwb2RjYXN0cyUyRnByb2dyYW1hJTJGZ2UtcGFsbWVpcmFzIiwidXJsX29tbnkiOiJodHRwczovL29tbnkuZm0vc2hvd3MvZ2UtcGFsbWVpcmFzL2dlLXBhbG1laXJhcy0xNjktZmltLWRlLWplanVtLWRlZmVzYS16ZXJhZGEtYS12aXQvZW1iZWQ/c3R5bGU9YXJ0d29yayZpbWFnZT0xJnNoYXJlPTAmZG93bmxvYWQ9MCZkZXNjcmlwdGlvbj0wJnN1YnNjcmliZT0wJmZvcmVncm91bmQ9MDAwMDAwJmJhY2tncm91bmQ9ZjJmMmYyJmRpc3Q9Z2UtbyZoaWdobGlnaHQ9MTc3ZDQ5IiwidXJsX3JjIjoiaHR0cHM6Ly9zMy5nbGJpbWcuY29tL3YxL0FVVEhfMTRjZTFkYmViYmU2NGIxZThlOTU1ODA5YTA4NTY5MmQvd2ViLWNvbXBvbmVudHMvcHJvZC9yYy93aWRnZXQtcmMuaHRtbD9wcm9kdWN0TmFtZT1nZSZwcm9kdWN0Q29sb3I9JTIzMTc3ZDQ5JmFydHdvcmtVUkw9aHR0cHMlM0ElMkYlMkZzMy5nbGJpbWcuY29tJTJGdjElMkZBVVRIX2JjODIyOGI2NjczZjQ4OGFhMjUzYmJjYjAzYzgwZWM1JTJGYXVkaW9wdWItZXBpc29kZXMlMkZicyUyRjIwMjElMkY2JTJGRSUyRjJBQm93RVFqZXdhdGtTVjJYeEF3JTJGZm90b2dlcGFsbWVpcmFzMTY5LmpwZyZhdWRpb1VSTD1odHRwcyUzQSUyRiUyRnRyYWZmaWMub21ueS5mbSUyRmQlMkZjbGlwcyUyRjY1MWEyNTFlLTA2ZTEtNDdlMC05MzM2LWFjNWEwMGY0MTYyOCUyRjU3Zjc5ODJjLTAyMmItNGNlYy1iZjQzLWFjN2YwMGQ1YTY1NiUyRjU2NTYyYzYxLWIyNWMtNDEzOS1hYWExLWFkYTgwMDE3M2Q0NiUyRmF1ZGlvLm1wMyZkdXJhdGlvbj0xOTgzLjM5OSZhdXRob3I9R2xvYm9lc3BvcnRlJmVwaXNvZGVUaXRsZT1HRStQYWxtZWlyYXMrJTIzMTY5Ky0rRmltK2RlK2planVtJTJDK2RlZmVzYSt6ZXJhZGElM0ErYSt2aXQlQzMlQjNyaWErZG8rUGFsbWVpcmFzK3NvYnJlK2ErQ2hhcGUmcG9kY2FzdFRpdGxlPUdFK1BhbG1laXJhcyZwdWJsaXNoZWRBdD0yMDIxLTA5LTE5VDAxJTNBMjUlM0EyNVomc2hhcmVVcmw9aHR0cHMlM0ElMkYlMkZpbnRlcmF0aXZvcy5nbG9ib2VzcG9ydGUuZ2xvYm8uY29tJTJGcG9kY2FzdHMlMkZwcm9ncmFtYSUyRmdlLXBhbG1laXJhcyJ9&channel=desktop

Com o ataque questionado pela ausência de gols dos centroavantes e uma defesa vazada com uma frequência incomum para os padrões dos últimos anos, o Palmeiras voltou de Chapecó da melhor maneira possível: Luiz Adriano encerrando um jejum de três meses e sem sofrer gols.

Luiz Adriano em Chapecoense x Palmeiras — Foto: Cesar Greco / Ag Palmeiras

Luiz Adriano em Chapecoense x Palmeiras — Foto: Cesar Greco / Ag Palmeiras

Claro que a fragilidade da Chapecoense, última colocada do Brasileirão, favoreceu o Verdão. Mas o ritmo imposto pelos palmeirenses no início da primeira etapa foi interessante. Wesley, em arrancadas individuais, Dudu, em passes quebrando a marcação, e Raphael Veiga, voltando a entrar na área adversária, deram nova dinâmica ao time.

Luiz Adriano, posicionado como 9, fez o dele depois de assistência de Piquerez e poderia ter marcado outras duas vezes se não fossem o erro de Wesley e a defesa do goleiro adversário.

Raphael Veiga e Wesley comemoram o gol do Palmeiras contra a Chapecoense — Foto: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

Raphael Veiga e Wesley comemoram o gol do Palmeiras contra a Chapecoense — Foto: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

Em testes na segunda etapa, o Verdão perdeu o ritmo ofensivo e viu seu jogo ficar quase totalmente limitado ao desempenho defensivo nas rebatidas das poucas investidas da Chape. Como o próprio Abel Ferreira admitiu em entrevista coletiva, “pensando mais à frente”.

Na terça-feira, o Verdão recebe em casa o time que fez a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores e que investiu pesado para a temporada de 2021. Atual campeão sul-americano, o Palmeiras precisará da sua melhor versão para bater de frente com o Atlético-MG e manter vivo o sonho do tricampeonato continental.–:–/–:–

Voz da Torcida – Leandro Bocca: “Espero que Luiz Adriano tenha espantado a zica”

E essa melhor versão passa justamente por um time mais seguro na defesa, com os meias aparecendo mais em lances de criatividade e com um centroavante decidindo jogos e disputando lances dentro e fora da área. O “treino” de sábado deu certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *