Capa de Harry e Meghan foi uma "facada" na reputação da rainha Elizabeth

O príncipe Harry e Meghan Markle foram considerados, esta semana, duas das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time. Os duques de Sussex protagonizaram uma das capas da publicação, a qual já está dando muito que falar.

Para Eric Schiffer, presidente da Reputation Management Consultants e especialista em imagem pública, a capa foi “uma facada no coração” da reputação da monarca britânica.

“A Meghan e o Harry fazerem uma capa da revista Time das 100 Pessoas Mais Influentes será visto como uma facada no coração da reputação da monarquia por causa da enorme credibilidade implícita que isto traz a eles e às suas anteriores alegações contra a coroa”, notou Erick em declarações à Newsweek. 

“A estratégia que o Harry construiu de atacar o William e de ser visto como um príncipe genuíno num palco global está sendo lindamente executada”, nota.

Na visão do especialista, Harry e Meghan aproveitaram as suas “fraquezas”, “enquadrando-se como vítimas” num quadro global. “Ligarem-se de forma tão genuína com a geração Z e as audiências Millennial e permitirem que sintam o que é interagir com um membro da família real, isso, a nível humano, tem sido poderoso”, defendeu.

Mesmo enfrentando chuvas de críticas dos membros da realeza e fãs da monarquia, Meghan e Harry vem ganhando cada vez mais admiradores por suas posturas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *