Coaf liga Gladson a transações de R$ 828 milhões; advogados contestam

Um relatório do antigo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) apontou 20 comunicações de movimentações financeiras suspeitas que envolvem o governador do Acre, Gladson Cameli (PP). As transações notificadas ultrapassam R$ 828 milhões, entre depósitos em espécie, compra de veículos de luxo e contratações imobiliárias.

O governador é alvo de investigação da Polícia Federal que apura suspeita de desvios em contratações nas áreas de saúde e infraestrutura. Para a PF, as comunicações “indicam, fortemente, uma atuação articulada e capilarizada de branqueamento de capitais — tendo o governador Gladson Cameli como sujeito central e principal beneficiário”.

Os advogados de defesa do governador, Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, emitiram nota de esclarecimento sobre o caso. Segundo eles, a investigação é um emaranhado de assuntos desconexos, onde tentam criar um vínculo espúrio entre o governador e contratações lícitas realizadas pelo Estado.

“De outro lado, esmeram-se em levantar suspeitas sobre as finanças do governador. Apenas suspeitas são lançadas, nenhuma imputação de crime é realizada. São apenas ilações desconexas que, com o devido respeito, não poderiam justificar a realização de medidas invasivas como a busca e apreensão e o bloqueio de bens”, afirmam.

Conforme a defesa, todas as suas movimentações financeiras são lícitas e o patrimônio de Gladson tem origem conhecida, seja no âmbito privado, seja na renda auferida em razão das funções públicas ocupadas. “Em razão disso, a defesa do Governador Gladson Cameli irá apresentar o recurso cabível e confia que a decisão será objeto de revisão. Apesar de discordar veementemente do que consta na investigação, a defesa vem expressar que confia plenamente no Poder Judiciário e nas instituições republicanas”, concluíram.

Com informações do R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *