Colônia 5 mil ganha Centro Cultural Sebastião Mota de Melo

Neste domingo , 21, os moradores da Colônia 5 mil, inauguraram o Centro Cultural Padrinho Sebastião Mota de Melo. O Centro leva o nome do fundador da comunidade do Santo Daime, que desde 1974 recebe seguidores da doutrina e pessoas de várias partes do mundo.

Como parte da programação houve o plantio de jardim, contação de história, cinema para as crianças, abertura da exposição de fotos, rodas de conversa e apresentação musical com as sonoridades características da doutrina do Daime. Com um público aproximado de 70 pessoas, o evento durou o dia todo e contou com a presença de outras lideranças daimistas, como representantes do Céu do Mapiá e do Pronto Socorro Espiritual Wilson Carneiro.

A criação do Centro é uma ação do Coletivo Cultural Amigos da Cinco Mil, grupo informal por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Município de Rio Branco através da Fundação Garibaldi Brasil na área de patrimônio. Com o valor aprovado R$ 5. 000,00 foi montada a exposição de fotos, biblioteca comunitária e equipamentos multimídia como data show e caixa de som. Foi instalado também um parquinho para as crianças fruto de rifas e doações.

As idealizadoras do projeto Julia Lobato, Ita Culqui e Luzia Schneider , citam que o objetivo é valorizar o legado construído pelo Padrinho Sebastião Mota, incentivar ações socioambientais, de arte-educação, lazer e formação cultural junto à crianças, jovens e adultos da comunidade, com um rico acervo bibliográfico, de vídeos e uma exposição permanente de fotos com informações sobre o lugar.

Julia Moura, moradora da comunidade, professora de Geografia e doutoranda da Universidade Federal do Acre – UFAC, destaca que o Memorial Colônia Cinco Mil é parte da pesquisa em andamento desenvolvida no curso de pós graduação em Letras: Linguagem e Identidade. “O projeto visa valorizar as histórias e memórias da comunidade, reunir e disponibilizar documentos, depoimentos, e reconhecê-la como parte do patrimônio histórico vivo da cidade de Rio Branco e das culturas ayahuasqueiras”, pontuou.

“Cabe lembrar que desde a década de 1970 a comunidade fundada pelo ex-seringueiro Sebastião, seguidor do Mestre Raimundo Irineu Serra , mobiliza um considerável fluxo de migrantes e turistas para Rio Branco, pessoas interessadas em conhecer e vivenciar este seguimento do Santo Daime. Esse espaço é importante para que as pessoas conheçam mais essa história “, citou Ita.

Ramal asfaltado

No sábado, 20, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom entregou o Ramal da Colônia 5 mil asfaltado, com meio fio, sarjetas e sinalização vertical e horizontal. O investimento foi de R$ 2.1 milhões de recursos próprios do município deixado em caixa pela ex prefeita Socorro Neri, que iniciou o serviço em dezembro do ano passado. O trabalho foi executado pela Empresa Municipal de Urbanismo de Rio Branco – EMURB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *