Desabrigados pela chuva na Bahia são levados para abrigos e escolas

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – O governo federal repassou R$ 20 milhões para ajudar as cidades atingidas pelo forte temporal que castiga a Bahia desde quinta-feira (25). Segundo João Roma, ministro da Cidadania, o governo enviou 90 médicos para as regiões e convocou as Forças Armadas para auxiliar no resgate dos desabrigados.

De acordo com a Defesa Civil da Bahia, são mais de 16 mil desabrigados e mais de 19,5 mil desalojados. Já o Corpo de Bombeiros diz que 18 pessoas morreram por causa das chuvas. A população total afetada é estimada em 430.869 pessoas.

Quem ficou sem casa em razão das chuvas está sendo encaminhado a abrigos temporários montados pelas prefeituras com o apoio do governo estadual.

No domingo (26), o Ministério da Cidadania decidiu antecipar para esta segunda-feira (27) o pagamento do programa Auxílio Gás para mais de 100 mil famílias que moram em municípios afetados pelas chuvas. Inicialmente, o benefício começaria a ser concedido no dia 18 de janeiro.

Rui Costa (PT), governador da Bahia, disse nesta segunda (27) que vai oferecer crédito de até R$ 150 mil sem juros aos comerciantes que tiveram estabelecimentos afetados.

“Para isso, vamos enviar um Projeto de Lei para aprovação na Assembleia Legislativa. Também vamos assegurar apoio aos agricultores que perderam sua produção nessas regiões”, disse Costa, que está em Ilhéus, de onde coordena uma força-tarefa para auxiliar as cidades.

Ao todo, 72 municípios estão em situação de emergência em razão das chuvas, 58 deles foram considerados também em situação de crise. Segundo o governo, só será possível avaliar as medidas para reconstruir as cidades quando a água recuar.

Na noite de sábado (25), uma barragem com alto volume de água se rompeu em Itambé, no sudoeste baiano. O alerta emitido pela prefeitura previa a possibilidade de uma forte enxurrada, que acabou não atingindo as áreas mais densamente povoadas da cidade.

O município instalou os desabrigados em uma escola da região e usou as redes sociais para pedir doação de mantimentos.

Operação parecida foi montada em Ilhéus, onde os desabrigados foram alocados em seis escolas. Nas redes sociais, vídeos e imagens mostram a destruição das cidades, com ruas inteiras inundadas. É possível ver também a dificuldade para resgatar os desabrigados por causa do grande volume de água.

“É uma tragédia gigantesca. Não lembro se na história recente da Bahia tem algo dessa proporção. É algo realmente assustador o número de casas, de ruas e de localidades completamente embaixo d’água”, afirmou Rui Costa no domingo.

Uma operação entre estados também foi montada para socorrer as cidades baianas. São Paulo enviou dois helicópteros e dois aviões para ajudar quem foi atingido pelas chuvas. Ao menos trinta agentes do Corpo de Bombeiros e do Comando de Aviação da Polícia Militar foram enviados para as operações de resgate.

João Azevêdo (Cidadania), governador da Paraíba, disse que enviou uma equipe com 20 bombeiros mergulhadores para ajudar nos salvamentos.

Já Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Sergipe e Paraíba enviaram aeronaves e equipes de bombeiros para resgatar populações ribeirinhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *