Iapen nega que preso em operação contra desvio de combustível não era efetivo

O Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) emitiu uma nota na tarde desta segunda-feira, 8, após a Operação “Ouro Negro”, desencadeada pela Polícia Civil para desarticular esquema de desvio de combustível órgão.

O Iapen confirmou que na instituição ficou comprovada a existência de um esquema que desviava combustível do Iapen, o qual era revendido a empresários a aproximadamente R$ 1,50 mais barato que nos postos de abastecimento. A operação culminou na prisão de um funcionário do Iapen que era responsável pelo controle do combustível.

“É importante destacar que o Iapen acompanhou e prestou o apoio necessário durante a operação, bem como se mantém à disposição da Polícia Civil para o auxílio na disponibilidade de documentos e devidos esclarecimentos”, informou.

No entanto, o órgão negou que policiais penais estariam envolvidos no esquema. “Tais informações não condizem com a apuração feita pela Polícia Civil até o momento. Destaque-se que a pessoa presa não faz parte do quadro efetivo da instituição e apenas exercia cargo em comissão no órgão desde o ano 2018”.

O Iapen destacou que o crime cometido pelo funcionário em questão não pode ser usado para manchar a honra dos servidores da instituição, sejam eles do quadro técnico, administrativo ou operacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *