Oposição vai convergir ‘em torno da democracia’ com o tempo, diz Maia

Apesar da divisão dos grupos de oposição em torno dos protestos deste domingo contra o presidente Jair Bolsonaro, o secretário de Projetos e Ações Estratégicas do governo de São Paulo, Rodrigo Maia, mantém o otimismo em torno do movimento pelo impeachment de Bolsonaro. Para ele, estes são os primeiros passos dessa mobilização, e é normal que ajustes ainda sejam feitos. Mas o deputado federal licenciado, um dos principais defensores de uma candidatura da chamada terceira via, avalia que mais setores de esquerda, incluindo o PT, acabarão se juntando às manifestações nos próximos eventos.Rodrigo Maia (DEM-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados © Dida Sampaio/Estadão Rodrigo Maia (DEM-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados

“É normal esse ajuste no início. Na verdade, cada campo tem a sua preferência e acaba empurrando para uma narrativa. Com o tempo, todos precisarão entender que não há caminho sem vocalizar naquilo que une”, diz.

Em ato em Brasília, Bolsonaro faz discurso com ameaça ao Congresso e dá ‘ultimato’ ao ST

Para Maia, o PT vai acabar também se agregando a esses protestos. “Com o tempo, o PT vai chegar à conclusão que esta estratégia de manter a polarização é muito arriscada”, acredita. “Se parecer que não tem mais ninguém no jogo, isso poderá favorecer o Bolsonaro.”

Maia comemorou o fato de lideranças políticas bastante distintas, como Ciro GomesJoão AmoêdoLuiz Henrique Mandetta e Alessandro Vieira, entre outros, já estarem juntos no protesto de hoje, abrindo a possibilidade dessa união de setores diferentes da oposição.

“Acho que a oposição não vai se dividir”, diz Maia. “Nos próximos meses, haverá uma convergência de agenda, deixando a eleição mais para a frente. A oposição vai se unir em torno da democracia.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *